top of page
Buscar
  • Foto do escritorSimone Komatsu

Reconhecimento

Alô! Alôoooo!!!

Tudo bem com você?



Eu estou bem… bateu aqui um momento de reflexão sobre reconhecimento pessoal, profissional, enfim, reconhecimento de maneira geral.

Uma vez eu li um livro chamado "As 5 linguagens do Amor" do autor Gary Chapman. Achei um pouco cansativo de ler então burlei o sistema e pulei pras partes que me interessaram (sim, eu faço isso às vezes. Feio.. mt feio eu sei!). E segui direto pras explicações das 5 linguagens.


São elas:

Palavras de afirmação - Muito bem!! Parabéns pelo seu trabalho! Seu otimismo é contagiante!

Qualidade de tempo - estar 100% presente, de corpo e alma naqueles 30 minutos que você tem livre para passar com sua melhor pessoa

Presentes - chocolates, joias, 1 gibi com pedaço de amendoim (hummm adoro isso!)

Gestos de serviço - lavar louça, tirar o prato da mesa, levar seu carro na oficina (ahh vai que cola, né?)

Toque físico - beijos, abraços, cafuné, sexo, massagem nos pés


Tá, lá vem a Simone misturando as estações entre reconhecimento e linguagens de amor! Só pode estar doida!



Bom… doidinha eu sou mesmo..hahahhahha e adoro! Mas pra mim o reconhecimento e as linguagens do amor andam bem juntinhas, lado a lado. 🤗

E se para você são coisas distintas, tudo bem também 😊


Por que que eu ligo os dois assuntos? Bom… vou exemplificar com o que eu tenho aprendido convivendo com meus priminhos, uma menina de 6 anos e um meinininho de 4 anos.

Eu amodoro esses dois de paixão! E agora virei a "tia da van" da menina hahahahhahha e confesso que eu tenho achado bem divertido buscá-la na escola!

E acabei por descobrir, escrevendo a frase acima, que a minha linguagem é o gesto de serviço.

Ixi.. confissão!! Sou ruim com as palavras sabe. Quando penso que vou dar uma dentro, já falei em um tom que, a meu ver não saiu ruim mas pra quem ouviu foi péssimo!! E perco Crush com isso. Ahhahah Sou muito impulsiva, quando percebo (umas horas depois) já foi-se e foi junto o ser que poderia se tornar um super crush.


"E onde entra o reconhecimento nessa estória toda? Falei que você é doida? 🙄"


O reconhecimento vai entrar e vai somente ser percebido se a gente souber qual é a nossa linguagem.



Sacando aqui que a minha linguagem é o gesto de serviço, se eu não estiver aberta e ter plena consciência de que um ser é diferente do outro e cada qual tem a sua linguagem, eu vou achar que eu nunca tenho reconhecimento de nada! E vou reclamar que tudo que faço e tenho feito, tem sido em vão!

E não é assim que as coisas funcionam. Porque cada um é um!


O reconhecimento pode chegar em forma de um aperto de mão ou de palavras de incentivo e motivação ou um abraço ou um gibi com pedações de amendoim (já falei aqui que eu gosto de gibi?). E não necessariamente da maneira como eu tenho a minha linguagem.


De forma geral, acredito que temos reconhecimento sim (de alguma forma) e talvez a gente não consiga entender de imediato.

Às vezes a gente não é reconhecida/o mesmo nem acendendo uma vela de 21 dias!


E como é que a gente vai se ligar que está sendo reconhecida/o se a gente não sabe como reconhecer o trabalho ou a atitude do/a outro/a se a gente não souber como se dar o reconhecimento?

Porque, de certa forma, a gente pode usar as nossas linguagens pela gente mesmo, cada qual à sua maneira ❤


Beijinhos da doida! 😘😘





51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page